domingo, 15 de maio de 2011

Edição 12- Chespirito e os setenta milhões (Parte 2, de 2)

Activa, México, 1978. 

"Minha sina é andar, percorrer caminhos."

Na sequência, a parte final da entrevista com Chespirito, publicada em 1978, na revista Activa.

"Éramos pobres, mas felizes". 

O orgulho de pai brota pelos seus poros.


"É complicado não poder fazer coisas simples."

"Quando me deprimo, me entrego aos meus hobbies."

"Tenho um compromisso com as pessoas."

"Sou um bom homem."

Hector Bonilla em foto da revista Activa

Veronica Castro, estrela da Televisa, nas páginas da Activa

Os fotógrafos de rua da Cidade do México, assim como Seu Madruga (Don Ramón) , ganharam  uma reportagem  na edição da revista Activa.


Anúncio de Maizena, publicado na revista Activa, 1978. 




4 comentários:

  1. Digno de aplauso!!! Dar-se ao trabalho de traduzir toda a matéria...
    Hoje eu resolvi ler traduzido mesmo e adorei!!!
    Já tenho até vergonha de dar os parabéns, porque vc merece mais que isso!
    \õ/
    Abração!

    ResponderExcluir
  2. Muito boa a matéria. Dá uma dimensão bastante clara da importância que as séries de Chespirito alcançaram na América Latina, tamanha a repercussão por onde eles passavam. Não à toa está até hoje no ar em tantos países. É um sucesso que transcende qualquer explicação. Simplesmente É (parafraseando a diretora da Televisa C&P, Maca Rotter).

    Interessante também pelos dados sobre os filhos de Chespirito, dá pra saber a idade certa de cada um hoje em dia.

    Parabéns, ótima matéria =D

    ResponderExcluir
  3. Valeu por mais uma nova reportagem, Cassio!

    Eu tinha a dúvida sobre a palavra tlapalería... Pesquisei no Google e achei que significa loja de ferragens.

    Parabéns!!

    ResponderExcluir
  4. Como sempre ótimo trabalho, e ótima matéria, é sempre um prazer enorme ver e ler essas suas Raridades Chompiras.

    E Enfim esperando pela próxima atualização.

    ResponderExcluir